– Remoção de Tatuagens

Sessões mensais com laser Nd:YAG Q-Switched 1064 e/ou 532nm.

É a tecnologia mais segura para remoção de tatuagem. Age na derme, preservando a integridade da superfície epidérmica (risco mínimo ou ínfimo de se desenvolver cicatrizes inestéticas ou queimaduras). O número mínimo de sessões necessárias para remoção é variável e depende de avaliação Biomédica. É um tratamento a médio ou longo prazo e os resultados costumam ser satisfatórios. Em uma minoria das vezes, poderemos notar apenas a remoção parcial (casos resistentes), para os quais possuímos estratégias distintas além do laser.

 

favicon guilhermeComo qualquer tratamento estético, a remoção de tatuagens também tem suas contraindicações; são elas: gestação, lactação, fragilidade capilar, fotossensibilidade, dificuldades ou exacerbações de cicatrização, doenças autoimunes do colágeno ou tecido conjuntivo, lesões suspeitas de malignidade, infecções ativas no local ou sistêmicas e imunossupressão (principalmente da Resposta imune celular).

Funciona assim:

A radiação incidente do laser quebra o pigmento já depositado em pedaços menores; assim, as células de defesa (glóbulos brancos) podem fagocitar (“comer”) o corpo estranho (tinta) e eliminá-lo gradualmente através de vias linfáticas e, possivelmente, vias hepato-biliares. As tintas coloridas (amarela, vermelha, laranja, verde, azul, roxa, etc) são as mais difíceis para a remoção, bem como aquelas tatuagens extensas ou já reforçadas com coberturas (sobreposição de pigmento). O paciente também deve estar imunocompetente (sem infecções, doenças ou remédios imunossupressores).

Pela Física e Termodinâmica, o efeito é explicado da seguinte maneira: o laser transfere sua energia luminosa em pulsos ultra-rápidos (nanossegundos = 10-9 Segundos   ou   picossegundos = 10-12 Segundos) de exposição ao cromóforo (alvo), que, nesse caso, é a tinta, onde a energia é convertida em calor e propicia a fragmentação (lise) seletiva das partículas de tinta por meio da dilatação rápida de uma face do grânulo em detrimento à outra face não dilatada, essa diferença de gradiente causa desestabilização física e rompimento do grânulo de tinta.

Os laser’s de remoção de tatuagem são especialmente projetados para aquecerem e, consequentemente, fragmentarem o pigmento de forma rápida, evitando dissipação do calor e grandes efeitos residuais térmicos. Isso é possível graças à tecnologia de pulsos ultra-curtos batizada de “Q-switched” e também em virtude da possibilidade de calibração para a menor fluência efetiva (Joules de energia por cm²), que vai a critério do Profissional Biomédico atualizado. Tais recursos conferem ao laser a efetividade desejada e grande segurança em relação às demais tecnologias existentes, visto a diminuição drástica dos riscos de cicatrizes inestéticas, queimaduras e discromias (acromias, hipocromias ou hipercromias pós inflamatórias).

 

Para mais sobre laserterapia, clique aqui.